(15) 3100-0265 (11)93308-6265
Abstinência Alcoólica

Abstinência Alcoólica


O álcool sempre teve uma presença marcante em toda a história da humanidade, estando presente em cerimônias religiosas, práticas gastronômicas e também nos diversos momentos festivos e de confraternização que conhecemos e criamos.

Apesar disso, ele pode estimular a agressividade no indivíduo, aumentar o risco de acidentes no trânsito e agravar diversos problemas, inclusive de saúde. Porém, uma vez que a dependência do álcool se consolida, não é fácil se livrar dela porque as crises de abstinência surgem sempre que a pessoa decide evitar o consumo.

Sobre as crises, muitas dúvidas sempre surgem, entre elas: a crise de abstinência pode causar a morte? Quanto tempo ela dura? É possível superar a abstinência do álcool sem ajuda médica? Essas e outras perguntas serão respondidas neste post! Siga lendo!

 

O que é a abstinência alcoólica?

A abstinência alcoólica é um conjunto de reações apresentado pelas pessoas que interrompem, total ou parcialmente, o consumo abusivo e constante de bebidas alcoólicas, de forma voluntária ou involuntária.

Todo dependente do álcool apresenta os sintomas da abstinência, mesmo quando ocorre apenas a redução da quantidade de consumo, ou seja, não é necessária a interrupção total da ingestão da bebida para sofrer com as crises.

A síndrome de abstinência também é associada a outros quadros de complicações clínicas e transtornos psiquiátricos como agitação, ansiedade, alteração do humor, náuseas, vômitos, taquicardia e hipertensão arterial.

A crise é também está ligada ao aumento da taxa de mortalidade em decorrência do consumo abusivo e dependência alcoólica, ressaltando a necessidade da procura por um tratamento especializado do alcoolismo a fim de que o paciente receba os cuidados necessários à sua reabilitação.

 

Quais são os sintomas da abstinência alcoólica?

Ainda existe uma grande dificuldade em identificar quando o uso de álcool passa a ser considerado um problema de saúde. Essa doença também recebe outros nomes como alcoolismo, dependência do álcool ou, como foi nomeada mais recentemente, transtorno por uso de álcool. É importante ressaltar que o diagnóstico não tem a ver com a quantidade nem com o tipo de bebida ingerida, mas sim com a presença de duas características:

 

  • Prejuízos à vida da pessoa relacionados ao álcool;
  • Dificuldade em controlar o consumo.

 

A seguir, confira os principais sinais e sintomas da dependência do álcool:

 

Falta de controle sobre o consumo: isso significa que o indivíduo bebe mais e passa uma quantidade de tempo maior do que gostaria ingerindo bebidas alcoólicas ou se recuperando de tal ingestão.

Fissura: desejo intenso ou urgente em consumir bebida alcoólica.

Tolerância: significa que o indivíduo tem a necessidade de consumir quantidades cada vez maiores de álcool para obter o mesmo efeito que seu organismo teve quando o experimentou pela primeira vez.

Dependência física: um conjunto de sintomas físicos (como náuseas, suores, tremedeiras e ansiedade) o que só cessa quando ocorre a ingestão da bebida.

Convulsões: quadros convulsivos relacionados ao alcoolismo são comuns e ocorrem geralmente dentro das primeiras 48 horas, após a redução ou suspensão do consumo do álcool. O não tratamento adequado das convulsões agrava a abstinência, evoluindo para o quadro de delirium tremens.

Delirium Tremens: alcoólatras que apresentam quadros de delirium, relacionados a abstinência alcoólica, sofrem com transtornos cognitivos, de memória e desorientação. Sintomas como delírios, humor alterado, apatia ou ansiedade intensa, alucinações e febre, também estão associados aos quadros de delirium.

 

Quais são os tipos de abstinência alcoólica?

Existem dois tipos de abstinência alcoólica, são eles:

 

  • Abstinência alcoólica leve a moderada

 Apresenta sintomas como pouca agitação, tremores leves, sudorese discreta, náuseas sem vômitos e ausência de perda de orientação.

 

  • Abstinência alcoólica grave

O paciente apresenta sintomas como tremores, vômitos, sudorese excessiva, sensibilidade à luz, convulsões, desorientação, agressividade, entre outros.

 

Quanto tempo dura a abstinência alcoólica?

Os sintomas da crise de abstinência do álcool surgem geralmente após um período de 6 a 24 horas desde a última dose. Em casos mais graves, a diminuição da quantidade ingerida é o suficiente para despertar os sintomas de abstinência.

Sintomas leves, como palpitações, tremores, dores de cabeça, febre e anorexia podem surgir em um período de 6 a 36 horas. As convulsões podem ocorrer entre 12 e 48 horas nos casos de maior gravidade e os sintomas de delirium tremens costumam aparecer entre 48 e 96 horas de abstinência.

A duração desses sintomas varia de acordo com o metabolismo do alcoólatra e do nível de dependência em que o mesmo se encontra. Eles podem se estender por 2 ou 3 dias nos casos leves, mas podem se prolongar por até 14 dias para os casos mais graves.

 

A abstinência alcoólica pode matar?

Sim. A suspensão total ou parcial do consumo do álcool pode produzir crises de abstinência fortíssimas no organismo do dependente, provocando colapsos nervosos que podem levar à morte se não houver o tratamento adequado, acompanhado por profissionais especializados.

 

Como tratar a abstinência alcoólica?

Devido ao alto nível de risco à saúde física e mental do paciente, a forma mais segura de tratamento é através do acompanhamento médico especializado. Geralmente o paciente é internado em uma clínica durante essa fase do tratamento, o que permite que ele seja monitorado todo o tempo pela equipe.

 

Se você sofre ou conhece alguém que está sofrendo com o problema do alcoolismo, nós podemos ajudar! O Grupo Recomeço é uma clínica particular referência no tratamento do alcoolismo e que tem mais de 20 anos de experiência. Venha conhecer uma de nossas unidades!

(11)93308-6265

Solicite um atendimento

Fale com nossos especialistas. Atendimento 24 horas para emergências e remoção.

Blog

Como lidar com filho alcoólatra?

Como lidar com filho alcoólatra?

Tirando raras exceções, os pais sempre querem o melhor para seus filhos. Mas independentemente do tipo de educação que recebem dos pais, às vezes

Aceitamos Planos de Saúde

planos de saude
Este site usa cookies do Google para fornecer serviços e analisar tráfego.Saiba mais.