(11) 93308-6265
(15) 99135-9851
0800-878-3353 - Ligação Gratuita 24h - Clínica Particular
Clínica de recuperação de drogas

Clínica de Recuperação de Drogas

Clínica de Recuperação de Drogas

Clínica de recuperação de drogasAs drogas são consumidas desde os primórdios da história humanidade.

Civilizações antigas e tribos indígenas tinham o costume de consumir plantas psicotrópicas como coca, ópio e maconha que eram utilizadas em rituais religiosos, cura de doenças e alívio da fome, entre outros fatores culturais e sociais.

A maconha, por exemplo, tem suas primeiras referências na Ásia Central, com data de 12.000 a.C. segundo os arqueólogos.

Na Índia, já haviam descoberto que a droga causava euforia por volta de 2000 a.C. A maconha era usada para estimular o apetite, induzir o sono e curar doenças venéreas.

Com a evolução da humanidade, as drogas também evoluíram e, além do consumo de drogas de origem natural como cocaína, álcool e a maconha, surgiram as drogas “fabricadas” pelo homem com componentes químicos não encontrados na natureza, como é o caso do ecstasy, LSD e a heroína. Estas são as chamadas drogas sintéticas.

No começo dos anos 1920, estima-se que já haviam 100.000 usuários de drogas no mundo e de lá para cá, este número já passa dos 3,5 milhões.

Praticamente o mundo inteiro sabe que o abuso do consumo de drogas é muito perigoso e prejudicial à saúde, causando diversos males ao próprio consumidor e também direta ou indiretamente para seus familiares.

O que muitas pessoas desconhecem é o importante trabalho que uma clínica de recuperação de drogas têm no combate a dependência química.

E você, sabe qual o papel de uma clínica de recuperação de drogas? Quais os profissionais que lá trabalham e qual o função de cada um? Continue a leitura e descubra as respostas para estas perguntas!

Clínica de recuperação de drogas: quem trabalha lá?

Uma clínica de recuperação é sem dúvidas a melhor opção para que um dependente químico ou alcoólatra possa iniciar seu tratamento.

A clínica de recuperação geralmente é um local isolado, longe de grandes centros, tranquilo, com o objetivo de ajudar o paciente a se concentrar em sua reabilitação. Ela conta com o apoio de profissionais que pertencem a diversas áreas e que juntos têm o objetivo de otimizar o tratamento e recuperação do dependente químico. Veja alguns deles e qual a função de cada um:

  • Psicólogo: quando um dependente químico chega na clínica de recuperação, um dos papéis do psicólogo é descobrir qual foi o motivo que levou o paciente a usar drogas, daí então trabalhar na melhor forma de ajudar no processo de recuperação . Além disso, o psicólogo tem a função de ajudar o paciente a evitar uma recaída, após sua desintoxicação.
  • Psiquiatra: Nem todos os pacientes conseguem ser curados sem o uso de medicamentos. Sem falar que alguns desenvolvem outras doenças como a depressão, ansiedade ou esquizofrenia. Neste caso o psiquiatra é essencial para receitar medicamentos que irão ajudar o paciente em sua reabilitação.
  • Nutricionista: Dependendo do caso, um dependente químico chega a clínica de recuperação com o corpo debilitado, ou então durante sua desintoxicação, o paciente pode perder muito peso. Neste caso o nutricionista prescreve uma dieta balanceada que o ajudará a recuperar sua saúde e prosseguir com o tratamento.
  • Enfermeiro: Assim como em um hospital comum, o enfermeiro tem o objetivo de sempre ficar atento ao dependente químico em seu processo de recuperação. Juntamente com o médico, o enfermeiro é responsável por dosar e acompanhar medicações.

Estes são apenas alguns dos profissionais que trabalham na clínica de recuperação de drogas.

Se você conhece alguém que esteja sofrendo com a dependência química ou alcoolismo e quer ajudar esta pessoa, entre em contato com o Grupo Recomeço. Agende uma visita e venha conhecer nossas instalações e nossos profissionais.

Possuímos mais de 20 anos de experiência ajudando famílias a terem uma vida mais feliz e saudável, longe dos males que a dependência química pode causar.

O que é dependência química?

O que é Dependência Química?

O que é dependência química?

Quando o assunto é dependência química, ainda existe nos dias de hoje muita desinformação e preconceito.

Quando você ouve falar em dependência química, o que vem a sua mente? Por exemplo, quando você ouve falar que alguma pessoa foi presa por algum problema envolvendo drogas ou bebida alcoólica, qual sua primeira reação?

A de muitos é criminalizar a pessoa que foi presa. Claro que ser pego com drogas é algo ilegal, independente se é para consumo próprio ou para comercialização. Você pode saber mais sobre esta lei aqui.

A questão que quero frisar não é a se o ato de ser pego com drogas é ilegal ou não. Obviamente que é. Mas o que quero mostrar é a causa que fez com que a pessoa chegasse até ali.

A tendência da maioria das pessoas é pensar que quem é pego com drogas é traficante, bandido. Sim, muitas vezes esse pensamento está correto, mas nem sempre.

Normalmente a dependência química leva o indivíduo a fazer coisas que normalmente não faria, inclusive cometer crimes.

Mas afinal, o que é a dependência química? Você vai descobrir logo a seguir! Continue a leitura!

Dependência química: doença ou desvio de caráter?

A dependência química é definida pela décima edição da Classificação Internacional de Doenças (CID-10), da Organização Mundial da Saúde (OMS) como um transtorno mental caracterizado por um grupo de sinais e sintomas decorrentes do uso de drogas.

Alguns desses sinais são o uso compulsivo e crescente das drogas, o abandono de atividades comuns, cotidianas, como trabalhar, ir ao mercado, tomar banho, até mesmo alimentar-se.

Enfim, o único objetivo do dependente químico se torna usar drogas e para ele nada mais importa.

Mas isso não pode ser considerado um desvio de caráter, pois quando a pessoa começa a usar drogas, as funções cerebrais são afetadas e indivíduo perde o controle do consumo.

As drogas liberam no cérebro um alto índice de dopamina, que é o neurotransmissor responsável pelas sensações de prazer. Conforme o consumo da droga se repete, o cérebro do usuário assimila a prática como algo “bom” e “obriga” a pessoa a consumir cada vez mais para que a sensação de prazer se repita ou se prolongue.

Outro problema que ocorre com o consumo abusivo de drogas é a tolerância. Com a prática cada vez mais constante, o cérebro do usuário acaba pedindo doses maiores da droga, pois a sensação de prazer diminui com a passar do tempo.

Até o início dos anos 1960, a dependência química não era considerada uma doença e sim um desvio de caráter. Mas em 1964 a OMS começou a utilizar o termo “dependência” no lugar de “vício” ou “habituação”.

Infelizmente, ainda nos dias de hoje muitos têm preconceito com dependentes químicos os rotulando como criminosos, mau-caráter, entre outros adjetivos que os diminuem.

Então, qual a solução para combater a dependência química?

Agora que você já sabe que a dependência química não é um desvio de caráter e sim uma doença, uma das primeiras coisas a fazer é divulgar esta informação para o máximo de pessoas possíveis!

Afinal, é sempre melhor prevenir do que remediar, não é mesmo?

Mas quando isso não é possível e a pessoa já se encontra refém da dependência química, o melhor a se fazer é procurar ajuda profissional através de uma clínica de recuperação.

A princípio o dependente químico pode rejeitar este tipo tratamento, ou até mesmo se recusar a aceitar que está com um problema e que precisa de qualquer ajuda. Temos um artigo falando como você pode ajudar pessoas que se encontram nesta situação. Você pode lê-lo aqui.

Voltando a falar da ajuda profissional, o Grupo Recomeço, clínica de recuperação para dependentes químicos conta com profissionais totalmente capacitados a prestar o melhor atendimento para seus pacientes e familiares.

Com mais de 20 anos de atuação no segmento de recuperação humana, o Grupo Recomeço possui instalações que proporcionam conforto, segurança e tranquilidade, visando sempre a reabilitação total de nossos pacientes.

Entre em contato com o Grupo Recomeço! E se desejar, agende uma visita para nos conhecer pessoalmente! Também compartilhe este artigo com o máximo de pessoas possíveis para ajudá-las a saber o que realmente é a dependência química e eliminar toda desinformação e preconceito que ainda existem sobre o assunto.

Clínica de Recuperação em Sorocaba

Clínica de Recuperação em Sorocaba

Clínica de recuperação em Sorocaba

Clínica de Recuperação em SorocabaSorocaba, com seus quase 700.000 habitantes, é a quarta cidade mais populosa do interior do estado de São Paulo.

Fundada em 15 de agosto de 1694 pelo capitão Baltazar Fernandes, Sorocaba recebeu este nome de origem tupi-guarani – que significa “terra rasgada” –  devido às erosões presentes em seu terreno na época.

Sorocaba possuía e possui uma posição geográfica estratégica que servia de rota para os tropeiros até os estados de Minas Gerais e Mato Grosso, além de outras regiões do estado de São Paulo.

Devido à esta posição estratégica, em 1875 Sorocaba ganhou a Estrada de Ferro Sorocabana que tinha como um de seus destinos o porto de Santos.

Desde então, Sorocaba cresceu e indústrias têxteis com origens inglesas chegaram a região e assim Sorocaba recebeu o apelido de Manchester Paulista.

Nos anos 1970, indústrias de outros segmentos chegaram à Sorocaba e de lá até os dias de hoje a cidade continua crescendo e se modernizando cada vez mais.

Além das indústrias, Sorocaba possui uma área comercial bem vasta com shoppings, muitas lojas, super e hipermercados entre outros comércios.

Além disso, possui muitas áreas de lazer como parques e também um zoológico que é considerado um dos mais completos da América Latina.

No entanto, uma cidade com um crescimento econômico e populacional como Sorocaba, não ficaria livre de problemas como a dependência química.

Felizmente, a clínica de recuperação é a melhor solução para uma pessoa que sofre com a dependência química e o alcoolismo em Sorocaba.

Em breve falaremos mais sobre a clínica de recuperação em Sorocaba. Continue a leitura!

Jovens sorocabanos, principais alvos das drogas

No final do ano passado (2018), uma pesquisa realizada pelo grupo Coalizão Sorocaba entre alunos das escolas estaduais da cidade, mostrou que quase metade dos estudantes (47%) entre 14 e 18 anos já tiveram contato com algum tipo de droga.

Destes 47%, a maioria entre 14 e 15 anos de idade, disseram que já experimentaram álcool (40%), narguilé (26,5%), maconha (22,9%) e tabaco (22%).

Dos motivos apresentados pelos jovens, 37% disseram ter experimentado as drogas por curiosidade, 27% disseram que os amigos ofereceram, 23% compraram e 10% pediram para alguém comprar.

Esta pesquisa foi apresentada e debatida em audiência pública na Câmara Municipal de Sorocaba em 09/11/2018 e você pode ver mais detalhes sobre este evento aqui.

Poder público contra as drogas

Tanto o poder legislativo, quanto o poder executivo de Sorocaba preocupam-se com o combate às drogas na cidade e região.

Neste ano (2019), mais precisamente em 14 de março, a Prefeitura de Sorocaba através da Secretaria de Políticas sobre Drogas (Sepod), iniciou um mapeamento do consumo de drogas na cidade.

O objetivo principal é a prevenção, porém também saber quem são os usuários que já se encontram em situações de dependência química, muitas vezes sem moradia, expostas à todo tipo de riscos contra a vida, para que as devidas providências sejam tomadas e estas pessoas auxiliadas.

Apesar de todo o esforço do poder público, há um número muito grande de dependentes químicos e alcoólatras na cidade de Sorocaba.

E pensando nestas pessoas e em suas famílias, o Grupo Recomeço, clínica de recuperação em Sorocaba, possui uma equipe de profissionais altamente treinados e capacitados para ajudar todos os tipos de pacientes relacionados à dependência química e alcoolismo.

Nossa estrutura foi desenvolvida para proporcionar maior conforto, segurança e tranquilidade para nossos pacientes e também familiares.

Se está procurando uma clínica de recuperação em Sorocaba, entre em contato conosco. Se possível, agende uma visita e venha conhecer de perto o Grupo Recomeço. Estamos à sua disposição!

Como ajudar uma pessoa com depressão

Como Ajudar uma Pessoa com Depressão

Como ajudar uma pessoa com depressão

Como ajudar uma pessoa com depressãoConsiderada a doença do século XXI, a depressão atinge diretamente mais de 300 milhões de pessoas pelo mundo inteiro.

Uma recente pesquisa do IBOPE mostrou que no Brasil, 5,8% da população é diagnosticada com depressão. Número acima da média mundial que é de 4,4% segundo a Organização Mundial da Saúde.

A mesma pesquisa ainda mostrou que praticamente metade dos brasileiros não sabem o que é depressão, sentem vergonha de falar sobre o assunto ou não consideram importante o tratamento da doença.

Ainda existe muito a ser descoberto pela medicina sobre a depressão, mas o que sabemos com certeza é que ela é de fato uma doença que se encaixa na categoria de transtornos mentais e precisa sim de tratamento adequado.

A depressão não é diagnosticável através de exames comuns e seus sintomas podem variar de acordo com cada indivíduo.

Devido a muita desinformação e preconceito referente à doença, a depressão tem feito muitas vítimas, às levando a cometer suicídio.

Mas então como podemos ajudar uma pessoa com depressão?

É o que vamos descobrir logo a seguir!

Formas de ajudar alguém com depressão

Ajudar alguém com depressão é algo crucial, porém deve ser feito da maneira correta, pois uma palavra ou atitude errada pode piorar e muito a situação da pessoa deprimida.

Antes de mais nada, procure obter o máximo de informações possíveis sobre o assunto para ter noção do que realmente se trata a depressão. Acredite, há muito conteúdo relevante.

Após a parte teórica, é hora de por em prática algumas dicas que irão ajudar a lidar com a pessoa deprimida.

  • Ouça: Uma pessoa deprimida precisa ouvir palavras positivas mas também muitas vezes ser ouvida. Mostre que está disposto(a) a ouvir o que ela tem a dizer e conversar, não necessariamente sobre a depressão, mas sobre qualquer outro assunto.
  • Não confunda a doença com a personalidade da pessoa: A depressão altera o humor do indivíduo o deixando com pensamentos e atitudes negativas como a irritação, por exemplo. Um deprimido pode não querer conversar com você, talvez nem te ver e pode te tratar mal. Não leve para o lado pessoal. Seja paciente.
  • Cuidado com sua própria saúde: Deparar-se com uma situação de depressão na família, ou com um amigo muito próximo pode mexer com o próprio emocional. Lembre-se que você deve sim ajudar a pessoa deprimida, mas não deixar que a doença dela abale a sua saúde.
  • Incentive a prática de atividades saudáveis: Convide a pessoa para praticar um esporte ou fazer uma caminhada. Caso o deprimido não queira sair de casa, proponha uma atividade ali mesmo como algum jogo de tabuleiro ou cartas.
  • Não minimize a situação: Não faça comparações com outros casos do tipo: “Conheci pessoas que estavam piores que você”. Não tem como saber exatamente como uma pessoa deprimida se sente e este tipo de comentário só pode piorar as coisas.
  • Encoraje a busca pela ajuda profissional: Um deprimido geralmente se sente desencorajado a procurar ajuda de um psiquiatra e/ou psicólogo por vergonha, preconceito ou pensar que estes profissionais não irão ajudar. Tente convencê-lo do contrário e, se possível, vá com ele pelo menos pela primeira vez ao consultório.

O que falar para uma pessoa deprimida

Talvez você já tenha ouvido a expressão: as palavras têm poder.

Em muitas situações elas têm mesmo, inclusive quando são direcionadas à uma pessoa com depressão.

Portanto, tome muito cuidado ao escolher as palavras ao se dirigir à um deprimido.

Veja alguns exemplos a seguir de frases que você pode dizer à alguém com depressão:

  • Se quiser conversar sobre isso ou qualquer coisa, estou aqui para te ouvir.
  • O que eu posso fazer para te ajudar hoje?
  • Não entendo exatamente como se sente, sei que deve ser bem difícil, mas estou aqui para te ajudar no que eu puder.
  • Muitas pessoas já passaram por isso e hoje estão bem. Sei que você também vai ficar.
  • Quando pensar em desistir de tudo, diga a si mesmo que vai esperar mais um dia, mais uma hora, ou minuto.
  • Você é importante para mim! Quero te ver bem!

O que NÃO falar para uma pessoa deprimida

Do mesmo jeito que as palavras certas podem ajudar alguém, as erradas também  podem atrapalhar e muito!

Veja alguns exemplos:

  • Isso é coisa da sua cabeça.
  • Todo mundo tem momentos difíceis.
  • Você não tem motivos para ficar triste.
  • Tem pessoas em situações bem piores que a sua.
  • Ficar deitado não vai resolver seu problema.
  • Não posso fazer nada para te ajudar.

A depressão não deve ser ignorada. Ela não é uma simples tristeza. É uma doença que deve ser tratada da maneira correta e o deprimido(a) deve ter o máximo de apoio da família e amigos.

O Grupo Recomeço possui os profissionais adequados para tratar pessoas com depressão.

Se você conhece alguém que precise de ajuda, ou você mesmo esteja precisando, entre em contato com o Grupo Recomeço e teremos grande prazer em te ajudar!

Clínica de Recuperação em Londrina - PR

Clínica de Recuperação em Londrina – PR

Clínica de recuperação em Londrina – PR

Clínica de Recuperação em Londrina - PRLondrina, uma das cidades do interior do estado do Paraná, possui uma população de quase 600 mil habitantes, sendo a segunda maior do estado.

Relativamente uma jovem cidade, comparando com outras centenárias.

Foi fundada em 10 de dezembro de 1934 pelo inglês Simon Joseph Fraser, mais conhecido como Lord Lovat, que ficou impressionado com a exuberância do local, ao visitar a terra pela primeira vez 10 anos antes de sua fundação oficial.

Lord Lovat, juntamente com outros ingleses, criou a Companhia de Terras Norte do Paraná onde deram início à construção de uma ferrovia e, pelo caminho, fundavam cidades no norte do Paraná.

Ao observar a neblina que era comum na região e, que se assemelhava à da cidade de Londres, os ingleses chamaram o local de Londrina, que significa pequena Londres, assim, homenageando suas origens.

Londrina ficou conhecida também como a Capital Mundial do Café por causa do grande cultivo da planta devido ao solo fértil da região.

A pequena Londres é uma cidade acolhedora, recebeu e recebe pessoas do Brasil e de todo o mundo, forte na parte agrícola, industrial e tecnológica, Londrina é uma cidade completa, com uma infraestrutura excelente e qualidade de vida acima da média da maioria das cidades brasileiras.

Mas como todas as outras cidades, Londrina também tem seus problemas. E um deles é o tráfico de drogas e os males decorrentes desta prática criminosa.

Agente Duplo

Em janeiro de 2018, os bombeiros encontraram uma plantação de maconha dentro de uma suposta clínica de recuperação em Londrina.

Não, você não leu errado. Sei que é difícil de acreditar, mas realmente aconteceu.

Os bombeiros foram chamados para atender uma ocorrência de incêndio e, ao chegarem em seu destino, se depararam com uma plantação de maconha e também uma grande quantidade pronta para o consumo.

A polícia militar foi acionada, e verificou que a planta era cultivada com bastante zelo, em uma estufa com ar condicionado, ventiladores e iluminação.

A clínica de reabilitação estava no nome de um casal que já havia sido alvo de uma operação de combate ao tráfico de drogas em Belém-PA. No local, ninguém foi encontrado nem preso.

Para fazer uma comparação rápida, é o mesmo que ter um policial que trabalha para a sociedade, que tem o dever de proteger a população, ao mesmo tempo trabalhar para o crime, destruindo a população. Um agente duplo.

Sei que é uma notícia absurda, mas você pode lê-la na íntegra aqui.

As clínicas de recuperação têm o objetivo único de ajudar o dependente químico e/ou alcoólatra a ficar livre de uma vez por todas desta terrível doença e não o contrário, incentivando o consumo de drogas.

O Grupo Recomeço, clínica de recuperação em Londrina – PR, é uma clínica séria, com mais de 20 anos de experiência no tratamento contra a dependência química e alcoolismo.

O Grupo Recomeço possui um ambiente familiar, seguro e confortável para nossos pacientes e seus familiares.

Contamos com uma equipe de profissionais treinados e capacitados para cumprir nossa missão que tem o objetivo principal de cuidar e restaurar a vida do ser humano.

Possuímos atendimento 24 horas voltado para resgate e internações. Estamos sempre prontos para atender e cuidar de nossos pacientes da melhor maneira possível.

Se você está procurando uma clínica de recuperação em Londrina – PR, entre em contato com o Grupo Recomeço, tire todas as suas dúvidas, e se desejar, agende uma visita para nos conhecer pessoalmente! Será um prazer recebê-lo(a)!

Como prevenir o alcoolismo na juventude

Como Prevenir o Alcoolismo na Juventude

Como Prevenir o Alcoolismo na Juventude

No Brasil, conforme o Artigo 243 do Estatuto da Criança e do Adolescente, é proibida a venda e a distribuição de qualquer tipo de bebida alcoólica para menores de 18 anos, com pena de dois a quatro anos de detenção. Todavia, graças ao fácil acesso e a forte aceitação popular, o consumo de bebidas alcoólicas está cada vez mais precoce, e o alcoolismo na juventude é uma realidade que afeta a vida de inúmeras crianças.

A atual sociedade favorece de forma estratégica o mercado de bebidas alcoólicas. A propaganda, a indústria do entretenimento e a forte presença da substância em ambientes festivos colaboram para que a criança encare o álcool como um “companheiro de bons momentos”, que está associado a felicidade e a diversão.

De acordo com um levantamento do IBGE, cerca de 1,5 milhão de crianças de 13 ou 14 anos de idade já experimentaram algum tipo de bebida alcoólica. A mesma pesquisa revelou que um em cada cinco jovens já tiveram pelo menos um episódio de embriaguez.

O Guia Prático de Orientação sobre o impacto das bebidas alcoólicas na saúde da criança e do adolescente – lançado pela Sociedade Brasileira de Pediatria –, apontou que a ingestão de álcool é a principal causa de morte de jovens entre 15 a 24 anos.

Segundo estudos científicos apresentados no guia, cerca de 40% dos adolescentes brasileiros de 12 e 13 anos consumiram bebida alcoólica pela primeira vez em casa. Na maioria das vezes esse consumo é estimulado por amigos e familiares que já são acostumados a consumir essas substâncias.

Os riscos do alcoolismo na juventude

Além de afetar a capacidade cognitiva e prejudicar o desenvolvimento do cérebro da criança, o uso do álcool durante a juventude pode provocar problemas de saúde na idade adulta.

A falta de informação sobre os efeitos colaterais do consumo precoce de bebidas alcoólicas é um grande obstáculo para combater o alcoolismo na juventude . Entre os danos causados pelo vício estão:
– dependência química;
– mau rendimento escolar;
– mudanças de temperamento e de comportamento;
– o consumo abusivo de álcool aumenta o risco de uma depressão profunda;
– a longo prazo, pode provocar o aparecimento de doenças crônicas, como o câncer de mama, hipertensão arterial, cirrose, cânceres do trato digestivo e neuropatias.

Para evitar que os jovens de hoje se envolvam com bebidas alcoólicas, a prevenção é crucial.

Como prevenir o alcoolismo na juventude

Entender os motivos que colaboram para o consumo precoce de bebidas alcoólicas é fundamental para evitar o vício do álcool. A influência de terceiros e os elementos relacionados à estrutura de vida da criança são os principais fatores que levam ao uso da substância.

O papel dos pais é determinante para o desenvolvimento da criança e, consequentemente, na sua ligação com o consumo de álcool.

Um ambiente familiar saudável, com uma relação onde exista diálogo e controle por parte dos pais pode prevenir e evitar o contato da criança com bebidas alcoólicas. Em contrapartida, a falta de suporte ou uma relação parental com atritos e atitudes permissivas sobre o uso do álcool pode levar a iniciação precoce do consumo da substância e até mesmo ao vício.

A importância de falar sobre os perigos que o álcool oferece para a saúde.

A estrutura familiar é a base para a formação de qualquer indivíduo. Ela é indispensável para auxiliar a criança e fazê-la entender que o consumo de bebidas alcoólicas pode ser prejudicial para a saúde e causar danos irreparáveis no futuro.

Portanto, para combater o alcoolismo na juventude , o apoio e o envolvimento da família é imprescindível. Da mesma forma, a escola pode contribuir muito para ajudar a prevenir o consumo da substância, com a realização de programas educativos voltados à prevenção do consumo de bebidas alcoólicas.

Como ajudar no combate ao alcoolismo?

Como ajudar no combate ao alcoolismo?

Como ajudar no combate ao alcoolismo?

O Brasil está entre os dez países onde mais se consome álcool no mundo e infelizmente esse número cresce a cada dia. A linha entre o consumo social e o abusivo é “tênue” e dificilmente a dependência é notada por quem bebe.

Uma das características do alcoolismo é a convicção de que se pode parar de beber quando quiser, de que se está no controle da bebida, mas a realidade é que é a bebida que controla.

Quando o consumo passa do estágio sadio para a dependência, é preciso um basta antes que haja mais estragos na vida do usuário.  Você sabe como e qual é a melhor forma de ajudar seu ente querido a combater o alcoolismo? Descubra isso ao continuar a leitura desse post.

Comece mudando os seus hábitos

O alcoólatra tem muita dificuldade em reconhecer que está doente e que precisa de cuidados médicos. Isso dificulta ainda mais o processo de recuperação. O primeiro passo é conversar e tentar convencer a pessoa disso, fazê-la entender a gravidade do seu problema e os riscos causados por ele.

Se você é do tipo que apenas cobra, grita e arruma confusão, mude seus hábitos. Não é falando mais alto que será ouvido. Tente conversar sempre com carinho e não faça isso quando a pessoa estiver sob o efeito do álcool.

Tire todas as bebidas da sua residência

Você pode até não ser dependente, mas beber na frente do seu ente querido ou deixar as bebidas à mostra não ajuda na recuperação dele.  Portanto, não compre ou traga bebidas para dentro de sua casa. Se for o caso de receber visitas, sirva-as com refrigerantes, sucos, etc.

Evite ambientes onde terá fácil acesso ao álcool

Pode parecer uma decisão um pouco cruel no começo, mas é necessária. Frequentar um ambiente totalmente propício ao consumo de álcool, onde a bebida circulará livremente irá dificultar muito o processo de combate ao alcoolismo do seu familiar.

Quer sair? Ótimo, pois isso é importante para quem está em tratamento. Mas selecione um lugar que não coloque a recuperação do seu ente querido em risco.

Procure atendimento especializado

Umas das decisões mais importantes para combater o alcoolismo é procurar ajuda médica, encontrar alternativas que facilitem esse percurso e que garantam a efetividade do tratamento.

A melhor forma de conseguir isso é através de uma clínica especializada em tratamentos para dependentes do álcool. Procure eliminar os mitos da mente do seu familiar, incentivando sempre que ele se voluntarie para conhecer o espaço e aceite se tratar com profissionais qualificados.

Se já está em busca de uma clínica de recuperação, conheça o Grupo Recomeço. Lá você contará com uma equipe de profissionais experientes no combate ao alcoolismo. Entre em contato hoje mesmo e marque uma visita!

Como funciona o tratamento para intoxicacao por alcool grupo recomeco

Como funciona o tratamento para desintoxicação por álcool?

Como funciona o tratamento para desintoxicação por álcool?

O consumo excessivo de álcool pode causar várias doenças a longo prazo.  No entanto, a ingestão da substância em momentos de euforia também pode ocasionar uma intoxicação ao organismo. Você sabia disso? Continue lendo e entenda sintomas, riscos e tratamentos para intoxicação por álcool.

Como sei que meu acompanhante está com uma intoxicação por álcool?

O problema é caracterizado pela ingestão de uma grande quantidade da bebida em um curto período de tempo. Seus efeitos variam de acordo com a concentração de álcool no sangue. Listamos alguns deles:

  • Aumento do ritmo cardíaco e respiratório;
  • Entorpecimento fisiológico dos sistemas;
  • Diminuição da atenção e vigilância;
  • Redução da força muscular;
  • Diminuição da paciência;
  • Dificuldade em se equilibrar e movimentar-se;
  • Fala arrastada;
  • Funções visuais afetadas;
  • Vômitos;
  • Letargia profunda;
  • Perda de consciência;
  • Estado de sedação;
  • Parada respiratória;
  • Insuficiência respiratória;
  • E alguns casos, morte.

A probabilidade de intoxicação é bem maior nas mulheres, pois nelas o número de enzimas que metabolizam a substância é bem menor em relação aos homens.

Tratamento para intoxicação

A ajuda médica nesses casos deve vir imediatamente, para que se evitem transtornos maiores.  O tratamento de urgência para intoxicação por álcool pode incluir:

  • Lavagem estomacal;
  • Oxigenoterapia;
  • Hemodiálise;
  • Intubação para remover qualquer obstrução e ajudar na respiração;
  • Soro intravenoso;
  • Inserção de cateter na bexiga.

Existe um limite sensato para beber. Se você o ultrapassa e tem dificuldade em controlar o consumo de álcool, significa que já apresenta sinais de dependência.

O tratamento para isso levará mais tempo do que cuidar de uma intoxicação momentânea. Será preciso acompanhamento por médicos e especialistas de diversas áreas, ida a reuniões em grupos e atendimento individual, entre outras etapas.

Grupo Recomeço é uma instituição especializada em tratamentos para dependentes do álcool, desde a sua prevenção até a total recuperação do alcoolista.

Você pode achar que buscar ajuda não é necessário e que conseguirá se livrar do problema sozinho. Acredite, o consumo abusivo de álcool deve ser tratado desde o início, quando ainda existem poucos sintomas de dependência.

Você não precisa esperar a situação sair totalmente do controle para buscar ajuda médica. Entre em contato hoje mesmo com o Grupo Recomeço, converse com um profissional e esclareça todas as suas dúvidas. Nós podemos ajudar você!

Doencas causadas pelo consumo de alcool

Doenças causadas pelo consumo de álcool

Doenças causadas pelo consumo de álcool

 

É comum que a maioria das pessoas ainda desconfie quando um profissional ou especialista diz que o consumo exagerado de álcool pode acarretar doenças graves.

Isso acontece porque elas alegam conhecer muitos indivíduos que consumiram álcool durante anos e estão “muito bem de saúde”.

As doenças causadas pelo consumo exagerado de álcool são muitas, especialmente no aparelho digestivo, embora possam atingir outros órgãos também. Por isso hoje falaremos sobre algumas delas.

Gastrite

A Gastrite é uma inflamação da parede do estômago que pode causar sintomas variados, como a perda do apetite, azia, náuseas e também vômitos. Ela é muito comum e pode ter cura, basta regular a alimentação e evitar o consumo de álcool.

Hepatite ou Cirrose Hepática

A Hepatite é basicamente a inflamação do fígado e pode ser causada pelo consumo exagerado de álcool. Quando ocorrem episódios constantes de Hepatite, o paciente desenvolve a Cirrose Hepática, o que pode levar a morte.

Impotência ou Infertilidade

Com o consumo em excesso, é possível também que o aparelho reprodutivo seja afetado, o que pode provocar a Impotência no homem e período menstrual irregular na mulher, causando a Infertilidade que pode ser temporária, se o dependente procurar tratamento.

Câncer

Estudos comprovam que o excesso de bebida pode estar ligado ao aparecimento de canceres na faringe, laringe, esôfago, fígado, cólon, reto e mama. Dependendo do avanço da doença, é possível tratar com quimioterapia, radioterapia e também a cirurgia.

Pelagra

A Pelagra basicamente é a falta de vitamina B3 (niacina), o que pode oferecer grandes riscos à saúde e também coceira na pele e diarreia frequente. O tratamento é feito com uma suplementação vitamínica adequada e indicada por especialistas.

Demência

O consumo em excesso do álcool também poderá acarretar problemas relacionados à demência, como a perda da memória, a dificuldade em falar, movimentar-se e realizar tarefas simples como comer, tomar banho e vestir-se.

Estes foram apenas alguns dos problemas que podem ser causados pelo consumo exagerado de álcool. Caso algum indivíduo apresente sintomas dessas doenças, a procura por ajuda é essencial.

É importante destacar que, apesar de o tratamento da doença ser importante, mais relevante ainda é tratar suas causas. Pessoas que são dependentes de bebida, se não tratarem o vício, continuarão a beber e a apresentar essas e outras doenças.

Por isso não deixe de conferir os serviços que o Grupo Recomeço lhe oferece. Lá será possível obter ajuda para tratar a raiz do problema e curar definitivamente a dependência do álcool.

Quanto tempo álcool fica no organismo

Quanto tempo álcool fica no organismo

Quanto tempo álcool fica no organismo

Quando se fala que o álcool não é nada bom para o corpo, as pessoas não acreditam na quantidade de dano que uma simples bebida pode fazer.  Na maioria das vezes, elas só se preocupam com a possibilidade de serem paradas em uma blitz, mas será que somente isso importa?

Podemos lhe dizer que não, pois o grande estrago que o álcool faz no organismo nem se compara a uma blitz que pode lhe parar lá na frente, gerando prejuízos, geralmente financeiros, que podem ser remediados.

O percurso do álcool no corpo

O álcool, quando ingerido, percorre todo o aparelho digestivo, chegando por fim ao intestino delgado, onde uma parte é absolvida pela membrana mucosa e o restante é absolvido pelas paredes do intestino.

Quando estas paredes terminam de absorvê-lo, ele é transferido para a corrente sanguínea e assim começa a percorrer todo o corpo. Trata-se de uma substância com grande solubilidade na água, o que faz com que siga pela  corrente sanguínea com uma maior facilidade.

Características como o peso, idade, gênero, taxa metabólica, níveis de tensão, tipo de álcool ingerido, quantidade de alimento ingerida antes do consumo do álcool e estado de saúde dos órgãos acabam influenciando no tempo que a substância fica no organismo.

Quanto tempo o álcool fica no organismo?

A maioria dos especialistas considera que o corpo leva em torno de uma hora para se livrar de uma dose de álcool ingerida. Por uma dose, pode-se compreender uma taça de vinho ou um copo de chopp. Para bebidas destiladas, o tempo é maior.

É importante considerar que diversos fatores podem apressar ou retardar este processo. Por isso não se pode entender uma hora como um tempo exato e sim como uma estimativa apenas.

Não há nenhuma receita caseira que possa acelerar este processo no organismo, ao contrário do que muitos dizem. Tomar café ou aspirinas não fará com que a substância seja eliminada mais rapidamente.

Locais como o Grupo Recomeço contam com profissionais especializados que poderão não apenas esclarecer suas dúvidas sobre o assunto, mas também lhe ajudar a tratar a dependência do álcool.

Estamos Online